onimushawarlords

Faz no próximo dia 25 de Janeiro, 18 anos que Onimusha: Warlords foi lançado em solo japonês, tendo sido feito no Ocidente uns meses mais tarde. Deixem-me tirar já isto do caminho ao dizer que Onimusha é dos meus franchises favoritos de sempre e foi com muita alegria que vi este anúncio ser feito. No entanto, fiquei um pouco desiludido por não ser um remake mas sim um remaster. Todavia, à primeira vista, o resultado é bastante positivo e é sobre isso que vou falar durante os próximos minutos.

No que diz respeito à narrativa, estamos perante algo bem simples. Estamos na pele do samurai Samanosuke Akechi e temos como objetivo salvar a princesa Yuki, a qual foi raptada e viu o seu castelo ser invadido por forças demoníacas. A acompanhar-nos temos a ninja Kaede, a qual controlaremos no jogo em determinados momentos. O resto é pura arte Samurai.

onimushawarlords1

Não tenho por hábito começar a falar dos visuais logo de início mas, para mim, é claramente o ponto fulcral deste remaster. Estamos perante um trabalho que foi claramente melhorado graficamente e isso é evidente nas texturas dos personagens principais, bem como em alguns cenários. Porém, em algumas in game cutscenes, os fundos game continuam estranhos como se de uma colagem estivéssemos a falar. Parece que foi colado um fundo por trás dos personagens e isso não passa despercebido, principalmente nos primeiros minutos, sendo que depois acabou por passar ao lado.

Outra das novidades é a existência da possibilidade de jogar em 16:9 pois, na altura, o display era obviamente 4:3. Tudo toma outro aspeto e até ajuda em certos momentos a ver um pouco mais do cenário. Isto está relacionado diretamente com a famosa câmara fixa. Esse é um ponto que naturalmente não foi mexido e faz parte da mística da série. Para os mais distraídos, estamos perante a câmara que também era usada nos primeiros Resident Evil, onde nunca se sabia o que havia do outro lado do corredor.

onimushawarlords2

No que toca à jogabilidade, não existem grandes alterações para além de agora podermos controlar o personagem com o analógico, onde na obra original era somente com o D-Pad. Relativamente ao armamento, existem três armas distintas, cada uma com características diferentes, e cabe a vocês saber como tirar o melhor partido delas. Estas são compostas por ataques especiais de fogo, eletricidade e vento e os mesmos vão ficando mais poderosos à medida que forem evoluindo o arsenal.

Esses upgrades são feitos através da absorção das almas dos inimigos que podem ser obtidas quando estes morrem. Este sistema de absorção é feito através de um item que vos é dado muito cedo no jogo e têm que ficar a pressionar no botão para que as almas venham até vós. O desafio aqui consiste em que enquanto estiverem a fazer isso, podem sofrer ataques dos inimigos, pois estão vulneráveis. Para complicar as coisas, as almas não ficam à vossa espera e vão desaparecendo por isso cabe-vos decidirem se tentam sobreviver ou apanhar o maior número de almas possíveis, ou ambos… Isto é um sistema que dá alguma dinâmica ao combate e onde a concentração tem que estar sempre em alta. Para além do combate, existem também alguns puzzles onde uns são obrigatórios para avançar na história e outros são opcionais. Apesar de não serem extraordinários, acabam por enriquecer a jogabilidade do jogo. Algumas pessoas poderão achar que esta é demasiado linear mas é importante não esquecer que este jogo foi lançado há vários anos, mas onde as suas sequelas melhoraram neste aspeto.

onimushawarlords3

No que toca ao áudio, existe toda uma nova banda sonora. Foi algo que me surpreendeu ao saber mas, depois de terminado o jogo, gostei do trabalho efetuado nesta vertente. Muito sinceramente, nem me lembro da banda sonora original por isso acabou por não fazer grande mossa. Antes de terminar, quero apenas salientar que o jogo não sofre de qualquer problema de frame rate, ou pelo menos que eu tenha sentido.

Em suma, Onimusha: Warlords acaba por oferecer a experiência que proporcionou na era da Playstation 2, mas com visuais melhorados e pequenos retoques a nível geral. O produto que está agora disponível é sem dúvida a melhor oferta para todos os fãs da saga e também para todos aqueles que nunca tiveram a oportunidade de jogar.

muito bom
positivo Obrigatório para os fãs
positivo Imagem agora em 16.9 (também pode ser jogado em 4:3)
positivo Visuais e texturas melhorados
positivo Um dos maiores clássicos da Capcom agora facilmente acessível
errado Câmara fixa pode afastar jogadores
errado Impossível passar cutscenes à frente

Data de Lançamento: 15 de Janeiro de 2019
Produtora: Capcom
Editora: Capcom
Género: Ação, Aventura
Disponível para: Playstation 4,  Xbox One, PC e Nintendo Switch

Análise feita na Playstation 4.

Foi disponibilizada uma cópia do jogo para análise por parte da Capcom.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s