Diário de Jogo – Semana 45/2019

ds

Ora se na semana passada referi que a mesma tinha ficado marcada pelo fim do embargo das análises de Death Stranding, esta semana fica marcada pelo seu lançamento. Pronto, é isto. Não tenho mais nada a dizer sobre o jogo. Ainda não joguei e é capaz de demorar.

Esta foi uma semana algo estranha, na medida em que não me foquei em nada a fundo propriamente. Fui trocando de jogo várias vezes, pois parecia que nada me satisfazia. Durante o fim de semana, dediquei-me a obter a platina em Call of Duty: Modern Wafare. Gostei bastante de passar a campanha no Veterano, tal como fazia antigamente. É um excelente desafio com alguns momentos frustrantes, devido à forma como os inimigos têm em nós o único alvo, passando inclusivamente pelos nossos companheiros. Comparativamente a outros títulos que joguei e passei no Veterano, Modern Warfare é relativamente fácil o que é uma boa notícia para todos os fãs de conquistas/ troféus.

Depois deste, fui tentar a platina na visual novel Raging Loop. Faltavam apenas uns 5 ou 6 troféus e consegui terminar. Atenção, não sou de todo agarrado a troféus ou conquistas, mas sempre gostei do desafio que alguns oferecem. Ainda assim, se algum exigir um grind chato e enorme, facilmente desisto dele. Verdade seja dita, também só tento fazer isto se gostar muito do jogo ou quando acabo a campanha e quero continuar a jogar. Se for algo meh, então sigo em frente para outro título. O meu tempo disponível para isto é reduzido e para tentar obter troféus ou conquistas, tem que ser algo que goste muito.

A próxima platina será certamente Diablo III – The Reaper of Souls. Se bem me lembro (pois não fui consultar), acho que mencionei no diário anterior que ia tentar a platina disto e só me faltava 150 bounties para o troféu dos 500. Tenho estado a trabalhar nisso, mas vou deixar uns quantos para quando tiver o DLC do Necromancer e precisar do evoluir até ao nível 70. É o tal “matar dois coelhos de uma cajadada.”

Terminei Little Nightmares e, apesar de um bom ambiente, a jogabilidade é mais ou menos simples. Os puzzles são quase sempre fáceis de resolver num espaço de 1 a 2 minutos, embora hajam algumas exceções. Muito honestamente, esperava um pouco mais. Falta passar os DLC’s, mas vou fazendo sem pressa. Também terminei The Walking Dead: Michonne e foi bem mais curto do que esperava. Acabou por ser mais uma experiência no mundo de TWD da Telltale, mas em que nada de especial acrescenta ao universo.

Ontem (quinta-feira) tentei jogar um pouco de God of War, depois do Cory Balrog, responsável máximo pelo jogo, ter alterado o seu avatar e banner no Twitter. Obviamente que ficou tudo doido e, até agora, ninguém sabe propriamente que anúncio pode vir por aí. A descrição do seu perfil está, aparentemente, em código morse. O mesmo refere algo como SIE – Sony Interactive Entertainment. Com tantas mudanças recentemente em cargos na Playstation, vamos lá ver se este não será outro dos rostos conhecidos da marca a ganhar um novo cargo.

Avançando.

Após iniciar, deparei-me com o típico problema de estar afastado de um jogo por mais de um ano. Assim que comecei a controlar o Kratos, a minha reação foi algo como:

Não me lembrava dos controlos nem o acesso aos locais e os menus têm uma porrada de coisas para ver. Senti-me como um urso polar numa praia algarvia, se é que isso aconteceu alguma vez… Joguei cerca de uma hora, explorei um pouco (ou tentei) e, aparentemente, libertei um de três dragões. Depois tive a infeliz ideia de ir à zona da neve (enquanto explorava de forma pacífica), e defrontar uma Valquíria. A sério, uma infeliz ideia. Ora o resultado era mais que previsível, mesmo antes de descer o elevador de acesso. Só pensava, quando segundos é que vou aguentar. Mais de um ano fora de combate e sem saber os combos, foi algo pouco bonito de se ver. Tentei umas três vezes e decidi parar por ali. A coisa não estava a correr bem e a noite ainda era jovem para me stressar.

Mudei então para Northgard. Voltei ao excelente jogo de estratégia da Shiro Games e se já tinha jogado bastante sem conseguir desbloquear nenhum troféu, ontem foram só 16. 😀 Estava a jogar um género de Skirmish e aquilo começou a saltar troféus por todo o lado. Gosto bastante do jogo e vou continuar a jogar certamente, tanto pelo divertimento, como para desbloquear mais alguns troféus. Se gostam de jogos de estratégia, aconselho vivamente!

Para terminar a semana, é possível que possa voltar a outros jogos mais antigos, ou que estejam pendentes após uma grande raja de títulos para analisar. O que vou certamente começar é Concrete Genie. Foi-me cedido hoje um código do jogo e irei analisá-lo durante os próximos dias.

E com isto me despeço. Tenham um grande fim-de-semana a e joguem muito! Joguem muito Death Stranding! (Grrr, tinha dito no início que não ia falar mais nada sobre ele…)

Autor: Pedro Simões

Um apaixonado por videojogos e apreciador de anime. Por vezes, possuidor de opiniões pouco populares. @bakum4tsu

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.