Final Fantasy VII Remake – Análise

ffviiarmas

 

Antes de começar, quero apenas mencionar que nunca joguei o jogo original e, por essa razão, não esperem qualquer tipo de comparação com o título lançado no final da década de 90.

Final Fantasy VII Remake é facilmente um dos jogos mais falados desta geração. Será todo este burburinho justificável? Bem, a verdade é que a obra original é dos jogos mais aclamados de sempre, tendo atingindo um sucesso enorme quando foi lançado na Playstation em 1997. Porém, ao contrário do que seria de esperar, este remake é apenas a primeira parte de vários jogos a ser lançados futuramente. Este primeiro jogo foca-se na área de Midgar e estica um pouco mais os acontecimentos nesta zona. Esticar não será propriamente a palavra mais correta, talvez complementar seja o indicado.

 

ffviiremake_17

 

A história de Final Fantasy VII gira em torno de uma empresa que controla a energia do planeta para proveito próprio, ao invés do progresso social. Nós jogamos na pele de Cloud Strife, um ex-soldado dessa empresa e que agora se aliou a um grupo de rebeldes denominado de Avalanche. O objetivo é, obviamente, derrubar o império da empresa, mas esta é só a ponta do icebergue. A acompanhar Cloud nesta aventura, temos também Barret, Tifa e Aerith. Cada um destes personagens tem um papel muito importante no desenrolar dos acontecimentos e é em combate que mostram bem a sua personalidade.

Cloud é um guerreiro relativamente completo, a Tifa é mais combate corpo a corpo, o Barret é um “tanque” focado em ataques pesados e de longa distância e, por fim, a Aerith tem na magia a sua maior arma. Cada um deles usa um determinado tipo de arma e são várias as que podemos obter ao longo da campanha. Cada uma delas tem um ataque especial e uma vez que atinjam 100% de afinidade com essa arma, esse dito ataque especial pode ser usado com qualquer outra arma. Isto incentiva o jogador a mudar de arma, sem qualquer receio de não poder usar algum golpe específico que gostaram.

Falemos um pouco agora sobre Materia. Esta consiste em pequenos cristais que vamos obtendo ao longo do jogo e que podem ser aplicados nas armas e em alguns equipamentos. Existem muitas vertentes, onde algumas delas dão um boost no ataque de magia, fogo, gelo, vento, entre muitas outras possibilidades. Quanto mais usarem, mais eficaz será a sua aplicação em combate a longo prazo. É possível combinar diversos tipos de itens, permitindo uma detalhada personalização de cada equipamento ou personagem.

 

ffviiremake_11

 

Ao contrário do jogo original, o combate do remake não é unicamente por turnos. No geral, é mais focado em ação em tempo real. Na verdade, o jogo tem um modo chamado classic, o qual é a o formato mais semelhante ao antigo sistema, caso queira optar por essa via. Em termos de combate, cada personagem tem dois tipos de ataque e, se preferirem, podem simplesmente usar esses durante a maioria do jogo. Porém, a “magia” está no sistema ATB (Active Time Battle).

Este sistema abranda o tempo e permite ativar certos poderes, consumir itens, ou ainda executar ataques especiais. Isto é extremamente importante na hora do combate, pois também podemos percorrer os vários personagens e ativar em cada um deles, um golpe ofensivo específico ou um próprio buff que beneficie algum companheiro. O podermos mudar de personagem em combate, faz com que os mesmos se tornem sempre intensos, principalmente se conseguirem estar constantemente a usar as funcionalidades do ATB. Para terminar o tema do combate, quero mencionar também que é possível invocar “companheiros” para lutar, os quais têm o nome de Summons. Só podem ser invocados em determinados momentos e, uma vez ativos, permanecem em combate durante um bocado. Assim que esse tempo terminar, executam um ataque final bastante potente, saindo de ação em grande estilo tendo em conta a animação do ataque.

 

ffviiremake_16

 

Ao contrário do que possa ter parecido, Final Fantasy VII Remake não é um mundo aberto, pois o jogo está dividido por zonas e capítulos. Apesar disso, algumas zonas são grandes o suficiente para permitir uma boa liberdade. Antes de passarem para um capítulo novo, o jogo pergunta sempre se não querem fazer mais nada no atual, pois algumas coisas missões secundárias acabam por se perder. Porém, isso só é um problema até terminarem o jogo. Uma vez que cheguem ao fim, é possível escolher qual o capítulo em que querem jogar e completar tudo o que há para fazer, sejam as tais missões secundárias, apanhar diversos itens, músicas e armas.

No que toca aos visuais, não há como negar que este é um excelente jogo neste campo, embora um pouco assombrado por alguns problemas de texturas em determinados locais. Apesar de ter notado algo aqui e ali, nunca foi tão “grave” como quando terminei o jogo e regressei ao capítulo três para fazer algumas missões secundárias. Foi aí que comecei a reparar em alguns problemas de texturas. Todavia, nada que me incomodasse a fundo, ao ponto de retirar divertimento ao jogo. O nível de detalhes dos personagens é qualquer coisa de extraordinário, mas não menos incrível é o detalhe das Materia aplicadas nas armas/ equipamentos, e que podem ser vistos em pleno jogo e vídeos.

 

ffviiremake_14

 

Quanto aos cenários, existe uma boa variedade visual. Desde as áreas mais pobres, aos locais mais desenvolvidos da cidade, ou o próprio edifício da empresa Shinra, existe uma grande disparidade visual e que torna a nossa viagem ainda mais especial. Os próprios interiores de certos edifícios, contêm bastantes detalhes deliciosos e que acabam por dar também um toque mais único a muitos deles. Relativamente à banda sonora, existe todo um excelente trabalho e não seria de esperar outra coisa, tendo em conta os nomes envolvidos na sua produção.

A qualidade deste remake é notável, mas “nem tudo são rosas.” Para além do problema das texturas que já tinha mencionado anteriormente, a câmara de jogo também é um aspeto que cria algumas dificuldades durante o combate. Em alguns casos, nomeadamente em zonas mais apertadas, a câmara acaba por ocultar vários inimigos. Uma das soluções (embora temporária) que arranjei, foi aumentar a distância da câmara através de uma opção no menu. Isto fez com que o campo de visão aumentasse um pouco e suavizasse o problema.

 

ffviiremake_12

 

Como alguém que nunca tinha jogado a obra original, posso afirmar que Final Fantasy VII Remake é um grande jogo. Confesso que a maior desilusão que tive foi com a história. Senti que nunca houve aquele momento que me deixasse boquiaberto, embora também entenda que esta seja só uma breve parte de toda uma narrativa mais extensa. Gostei bastante do sistema de combate e a forma como pode ser abordado das mais variadas maneiras, tendo em conta as especialidades de cada personagem. Apesar do pequeno problema de texturas, este é um jogo visualmente incrível e dá gosto andar por diversas zonas no mapa (estou a falar de ti Wall Market). Quer sejam fãs do jogo lançado em 1997 ou caso nunca tenham jogado este ou qualquer outro título da série, é impossível não aconselhar aquele que é, facilmente, um dos melhores jogos desta geração.

 

positivo Graficamente incrível
positivo Boa banda sonora
positivo Mecânicas de combate e sistema ATB

errado Alguns problemas de texturas
errado Câmara de jogo em combate (alguns casos)

 

Data de Lançamento: 10 de Abril de 2020
Produtora: Square-Enix
Editora: Square-Enix
Género: Ação, Aventura, RPG
Disponível para: Playstation 4

Foi disponibilizada uma cópia para análise por parte da Ecoplay.

 

Autor: Pedro Simões

Um apaixonado por videojogos e apreciador de anime. Por vezes, possuidor de opiniões pouco populares.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.