Part Time UFO – Análise

Part Time UFO análise 

Um UFO aterra no planeta Terra. Um condutor distraído, que transportava laranjas na sua carrinha, sofre um acidente que projeta caixotes e citrinos pelo ar. Jobski, o nome do nosso UFO/alienígena, convenientemente dispõe de uma garra mecânica capaz de ajudar a pôr a fruta de volta no sítio certo.

E é assim que descola – trocadilho intencional – a bem-sucedida carreira como part-timer deste intrépido UFO.

Felizmente, a garra metálica do nosso amigo é bem versátil, servindo para muito mais do que apenas empilhar laranjas – como por exemplo, brinquedos, colunas, panquecas, atletas, acrobatas, etc…

Isso faz do Jobski um trabalhador muito procurado, mesmo na conjuntura económico-social atual. Talvez até porque ele não precisa de se preocupar com o distanciamento social…

Part Time UFO 1
Nabos de todas as formas e feitios. Se isto não for suficiente para por um sorriso na cara a qualquer um, imagina então o quanto custou empilhá-los…

 

O canivete suíço dos UFOs

Part Time UFO é um puzzle bem animado que chega agora à Nintendo Switch, e em que as leis da física estão fortemente presentes. Neste jogo, o UFO tem de realizar um variado número de tarefas que, apesar de serem bem originais, todas se podem resumir a empregar a garra mecânica no transporte objetos – quer animados, quer inanimados…

Seja a empilhar vegetais e frutas numa carrinha de caixa aberta; construir templos romanos ou castelos japoneses; pescar; auxiliar um elefante circense nas suas acrobacias; dar uma mãozinha – ou garrazinha – numa loja de brinquedos ou num museu; ou, até mesmo, jogar Tetris com os componentes de um robô gigante; a garra deste pequeno UFO serve para tudo! E os novos part-times estão sempre a chegar – pelo menos até se completar a história principal, da qual não quero relevar o desfecho, mas que é interessante.

Ao todo, o título conta apenas com 30 níveis, dos quais muitos são derivativos dos anteriores. Quase se conta assim pelos dedos de uma mão os diferentes estilos nos quais cada nível se insere, e dos quais já descrevi a grande maioria no parágrafo anterior. Isto, não quer de forma alguma dizer que a longevidade do jogo fica por aqui. Afinal de contas, pode-se dizer que o original Tetris só tem um nível com repetibilidade infinita.

 

Part Time UFO 2
Empilhar vacas umas em cima das outras, um intruso pelo meio, nada de anormal no dia de trabalho deste nosso UFO part-timer.

 A longevidade neste jogo advém, em parte, das tarefas adicionais que se têm de realizar a cada nível de forma a se colecionar medalhas e assim desbloquear os níveis seguintes. Sendo que, em vez de uma descrição, contamos apenas com uma pequena imagem ilustrativa das tarefas em questão. E, algumas tarefas, ou são bem difíceis ou são bem enigmáticas; por vezes, ambas as coisas.

Além disso, como tradicional no género, temos achievements – façanhas, vá – a realizar. Estes, por sua vez, presenteiam-nos com pequenas animações caricatas acerca dos personagens que vamos encontrando pelo caminho.

Partindo do assunto de personagens… Algo que está muito bem conseguido em Part Time UFO, é a existência de um fio condutor narrativo, muito bem escondido no subtexto, por entre níveis aparentemente desconexos. Os mais atentos, também se poderão deliciar com as expressões dos figurantes, seja na forma de ansiedade quando agarramos num objeto com a garra, júbilo quando o empilhamos corretamente, ou desolação quando o deixamos cair. Este último, quase sempre implica deitar abaixo grande parte do trabalho já feito.

Por seu lado, a banda sonora é engraçada, mas repetitiva, como de resto a fórmula do jogo o é. E, na mesma medida, acaba por não incomodar de tão ligeira e animada que é a jogabilidade. A juntar à festa, as animações e ilustrações são cómicas e coloridas.

Part Time UFO 3
Um excelente exemplo da qualidade da física presente no jogo. O burro pesa mais, mas está mais perto do centro; logo, não inclina tanto a barra horizontal.

Newton estaria orgulhoso

Sem dúvida que o ponto de sucesso nesta entrada para a biblioteca da Switch, é a física mecânica excelentemente representada. Mesmo que alguns senhores engenheiros possam vir criticar um ou outro aspeto, para a maioria de nós, esta parece bem real. A precisão no retratar das leis de Newton pode ser apreciada, por exemplo, na inércia dos objetos, sempre relativa à sua massa aparente e aceleração.

Muitos dos puzzles requerem que os objetos sejam rodados, o que não é tarefa fácil, e normalmente implica arremessá-los com determinado momento angular. Ou então, certos puzzles requerem que se empurre um objeto naqueles ajustes minuciosos, o que requer adquirir alguma aceleração por parte do nosso UFO – ver inércia, acima.

A complexidade escondida por detrás da leviandade temática dos puzzles, está muito bem executada. E o humor é excelente; o que, caso não tenha ainda sido aparente, trata-se de um componente fulcral e universal no jogo.

Posto de outra forma, os puzzles são bem difíceis, e a dificuldade escala exponencialmente à medida que se procura desbloquear medalhas. Mas, apesar disso, não é do tipo de experiência que frustra ou dá vontade de arremessar o comando de uma ponta à outra da divisão em que nos encontrámos. Nem mesmo quando já estamos a repetir o mesmo nível pela trigésima vez na passada meia hora. Talvez graças ao humor, talvez devido à viciante jogabilidade e curta duração dos níveis – aquele típico, “só mais uma vez!”

 

Part Time UFO 4

Para aumentar o interesse por parte do jogador, existem os usuais upgrades que, neste jogo, são na forma de uma mudança na aparência do nosso UFO, por vezes mais do que meramente cosmética. Como exemplo, algumas das formas modificam a velocidade ou aceleração da nave, ou a força ou velocidade da garra mecânica.

Além disso, para prolongar ainda mais a longevidade existe um modo de jogo infinito, em que continuamente se empilham objetos em busca de uma pontuação máxima, o desafio é simples: alcançar a altura máxima para uma torre de formas estranhas, até esta se desmoronar.

Existe ainda um outro modo, mais exploratório e bem desafiante, mas ao qual só se adquire acesso no final de completar os restantes níveis normais.

Por fim, temos também a possibilidade de se jogar em modo cooperativo local, graças à versatilidade dos Joy Cons, o que, certamente, proporciona mais momentos de hilaridade do que aqueles que jogar sozinho já nos proporciona.

 

 

Por mãos – ou garras mecânicas – à obra!

No geral, Part Time UFO apresenta-se como um jogo de puzzle desafiante, divertido, e muito viciante, assentando numa mecânica simples, mas funcional, e muito bem desenvolvida.

A sua experiência tende para o repetitivo em termos de jogabilidade. No entanto, a originalidade e bom humor dos níveis, são certamente capazes de proporcionar horas e horas de entretenimento, principalmente, se se tiver alguém com partilhar o segundo controlador e se aventurar pelo modo a dois.

positivo Física bem conseguida
positivo Puzzles originais e até cómicos
positivo Deliciosamente frustrante
positivo Modo cooperativo local

errado Mecânica repetitiva
errado A existência de um modo online seria bem-vinda

Data de Lançamento: 28 de outubro de 2020
Produtora: HAL Laboratory
Editora: Nintendo
Género: Puzzles
Disponível para: Nintendo Switch, iOS e Android

Foi disponibilizado um código para análise por parte da Nintendo Portugal.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.