Gaveta Retro – World Cup Italia ’90

world cup italia 90 gaveta retro

Vamos começar esta rubrica com um nome sonante. Nome sonante se cresceste em Portugal no início dos anos 90, vá.

Enquadras-te no perfil? Então aposto que até vais ouvir esta imagem.

world cup italia 90 mapa

O grande Itália 90!

Ou pelo menos, é assim que o conhecemos na Europa. Estamos a falar de um jogo com nada menos que 5 títulos diferentes, dependendo da sua localização e do licenciamento.

Aqui incluímos uma fabulada versão norte-americana que era, pura e simplesmente, Soccer! Consta que era o nome do jogo em desenvolvimento, e esse passou erroneamente para a primeira série de cartuchos emitidos.

Ora bem: o jogo foi lançado em 1989 como World Championship Soccer (NTSC-U) e World Cup Soccer (NTSC-J). Aversão dos norte-americanos à expressão “World Cup”?

Conseguidas umas licenças para o mundo PAL, muito mais virado para o futebol, o jogo adotou o nome e as cores da Taça do Mundo de 1990.

Ora bem, como boa licença desportiva que é, teve um prazo de validade – e a parafernália World Cup Italia ’90 foi à vida, trocado por um simples “SEGA Soccer” – naquilo que é a versão “anos 90” da remoção do jogo na loja eletrónica da respetiva consola.

Ironicamente, mesmo bem depois da remoção da licença, o jogo continuou a ganhar vida e fama em Portugal como “Itália 90” – e porquê?

mega drive mega games 1

Parece que o licenciamento se referia apenas ao conteúdo do próprio jogo, porque “World Cup Italia ‘90” nunca chegou a ser removido da caixa da compilação Mega Games I.

Isto é uma caixa que se adaptava perfeitamente àquilo que era o mercado de jogos em Portugal na altura: compilações baratas de jogos. Se bem me lembro, praticamente toda a gente com Mega Drive tinha também este pacote. Se as vossas memórias não são bem essas, deixem um comentário para me desmentir!

Outra questão – tenho quase a certeza que a imagem que eu via no Mega Games I em jovem era a americana (World Championship Soccer com fundo azul), e não o Sega Soccer com as cores da bandeira italiana. Será que houve ainda mais versões do jogo?

Uma nota aleatória a título de curiosidade: o jogo foi desenvolvido e lançado originalmente numa fase em que a qualificação para a Taça do Mundo de 1990 da vida real ainda estava em andamento. As seleções presentes na versão da Mega Drive têm um sério desfasamento daquelas que participaram na Taça do Mundo de 1990 da vida real – um total de 10 das 24 seleções! Isto foi corrigido em ports posteriores, como para a Amiga e para DOS.

Ora bem, vamos lá entrar pelo jogo e avançar…

Começamos por escolher a nossa seleção predileta no meio de um mapa-múndi meio distorcido por várias razões – consigo apontar umas cinco, assim de repente – em que recebemos um prompt com informações sobre a qualidade da seleção em questão e perguntando se queremos avançar. Depois vem a escolha de jogadores.

Aqui vem um paradoxo interessante, exemplificado na imagem abaixo, com o meio campo da seleção argentina de Maradona:

equipa 1  equipa 2

A versão europeia pode ter recebido a licença da competição em si, mas os nomes reais de jogadores foram alterados! Esta alteração continuou mesmo nos tempos pós-licença.

Escolhido o nosso onze, vamos a jogo. E quanto ao jogo propriamente dito… é provavelmente o que tem menos para dizer!

Não há assim nada de muito científico aqui: não há faltas nem foras-de-jogo, sob nenhuma circunstância. Isto rapidamente torna o jogo num festival de entradas de carrinho por trás e passes longos para que o próximo festival de carrinhos seja cada vez mais perto da baliza do adversário. Um clássico “dar pau e chutar para a frente”. Claro que é sempre possível tentar dar uns toques de arte no jogo, com dribles e passes curtos, mas temos de ter imenso cuidado ou rapidamente somos interpelados por sprites semelhantes à debaixo:

spirtes

Acompanhado do seu efeito sonoro rudimentar, mas místico, costuma ser rapidamente seguida pelos sprites doutro boneco estatelado no chão:

spirtes 2

Se jogaram este jogo, essas duas imagens estão certamente bem enraizadas na vossa memória!

Assim tal como está esta:

golo 1 golo 2 golo 3

Assumidamente difícil de entranhar sem os efeitos sonoros imediatamente anteriores, por isso aqui estão!

E é isto! Seis jogos depois, e somos os campeões do mundo. E volta tudo ao início. A não ser, claro, que estejamos a jogar contra alguém no outro comando – e aí até podemos ir a um épico desempate por penáltis.

Ainda recentemente tive o prazer de fazer um playthrough completo do jogo numa transmissão em direto no canal de Twitch da RadioSEGA, e demorou mais de 2 horas. Serve como sério contraste em relação à realidade dos jogos de hoje em dia: duvido que muitos jovens jogadores aceitassem passar esse tempo todo seguido a jogar à Boavista do início do século, mas na altura era o que havia e um verdadeiro gamer arranjava com que se entreter.

E sim, eram duas horas seguidas! Este jogo veio alguns anos antes de começar a ser possível gravar progressos em jogos de consola, e por alguma razão também não tinha o famoso sistema de palavras-passe da década de 80. Não havia outro remédio, e era se queríamos ver aqueles 10 segundos de glória com os créditos e uma imagem fixa.

Este último ponto reflete perfeitamente aquilo que o Soccer / Sega Soccer / World Championship Soccer / World Cup Soccer / World Cup Italia ’90 representou e representa para a sua geração em Portugal: uma página da história dos jogos em que não só se aceitava com naturalidade que a perfeição estava bem distante, como também não se esperava mais do que isso. E o pessoal abraçava os jogos precisamente por essa mesma particularidade: em vários casos, eram os graves defeitos que davam algum carisma especial aos jogos.

Em 1992, não esperávamos ter um eFootball PES 2020 na sala. Tínhamos um jogo e um comando de 3 botões para nos divertirmos. E passar uma meia hora frenética a “dar pau” no adversário e a chutar para a frente até que a bola entrasse… pura e simplesmente, resultava.

Autor: João Pires (Ravsieg)

Maluco que cresceu com a SEGA e adora os jogos da era da Saturn, agora faz rádio sobre eles. Ex-profissional da indústria com o sonho de voltar. Venham jogos de desporto, de corrida, "fighters" ou TRPGs! Ah, e Virtual On é BAE. :D

2 pensamentos

  1. Realmente os efeitos sonoros deste jogo são estranhos. Eu gosto desta visão de cima, diferente de outros jogos de futebol que possuem a câmera por trás, com visão estilo 1ª pessoa. Não gosto deste estilo. Principalmente nos 16Bits. Aqui no Brasil um jogo que fez muito sucesso foi o International Super Star Soccer. Ótimo texto!

    Liked by 2 people

    1. Haha, muito obrigado. 🙂
      Sim, verdade – o ISS Deluxe não teve muito sucesso na MD em Portugal, mas foi porque saiu numa fase já avançada da consola, em que já estava tudo à espera da Saturn. Mas concordo – é sem dúvida o melhor jogo de futebol na Mega!
      O divertido do Italia 90 é mesmo ser tão limitado e defeituoso, mas frenético – e na verdade, era dos jogos mais jogados em Portugal nessa fase, graças ao Mega Games I.
      Em termos de qualidade geral, fica um milhão de quilómetros atrás do ISS Deluxe.

      Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.