Startup Panic – Análise

Startup panic análise

Startup Panic é, claramente, um projeto de paixão que acerta em cheio nos pontos certos, e que foi decididamente criado com base em experiências pessoais neste ramo. Quase tudo o que está representado neste jogo chega a um nível de detalhe surpreendentemente elevado, o qual só é possível quando se sabe muito bem do que se fala e escreve.

Esse facto faz com que esta jornada se torne numa aventura extremamente cativante. Nada neste jogo parece ser ao acaso, até mesmo naqueles momentos em que há claramente um exagero em relação à realidade. Esses momentos são sempre recheados de um maravilhoso humor mordaz e repleto de referências à cultura do mundo informático e da programação, que sem dúvida será bastante apreciado por utilizadores que se revejam em toda a situação.

Startup panic 01
Muita da jogabilidade inicial passa em desenvolver e aprimorar novas funcionalidades para acrescentar à rede social que criámos e gerimos.

O jogo começa imediatamente com uma referência ao crunch, um dos tópicos mais controversos dos últimos anos no mundo dos videojogos: o protagonista – o nosso alter-ego para esta aventura – começa por estar a trabalhar numa sala muito cinzenta e sombria, juntamente com bastantes outras personagens. Quando os trabalhadores são pressionados a fazer mais horas extraordinárias, demitimo-nos – e aí começa esta estória…

A jogabilidade é geralmente aquela que se espera de um simulador de gestão. Controlamos o chefe, que tem uma vasta panóplia de detalhes para controlar e gerir de maneira a levar a nossa empresa ao sucesso. O que faz aqui a diferença é mesmo o toque humano, a precisão com que cada um desses pequenos detalhes está representado, e o nível de atenção com que estão todos estruturados. Em apenas algumas horas de jogo, rapidamente fui alvo de várias rasteiras e encruzilhadas que me fizeram sentir como se tivesse a minha própria start-up e fossem necessárias algumas decisões de impulso…

Startup panic 02
Temos elementos mais avançados que pertencem ao próprio enredo do jogo, como empresas competidoras. Johan Allberg, cheio de arrogância, move mundos e fundos para se superiorizar a nós.

A grande maioria do jogo inicial gira à volta daquele que é o dilema existencial da maioria das pessoas que embarca nesta carreira: aceitamos trabalho exterior para nos sustentar as finanças, ou pagamos do nosso orçamento para desenvolver o nosso próprio projeto? À medida que progredimos, vamos podendo contratar outros trabalhadores para a empresa. Por conseuquência, teremos também de gerir salários, habilitações e motivação. Claro que está tudo interligado…

Neste processo, começamos por trabalhar no quarto do protagonista, mas rapidamente vamos subindo a escada e conseguindo fundos para alugar espaços maiores e que permitam mais trabalhadores e mais adereços. Pouco a pouco, tornamo-nos numa potência no campo das redes sociais, com impacto por todo o mundo.

Startup panic 03
À conquista do mundo!

Tal como todos os jogos do género, mais ou menos realistas, a premissa é que o jogador está constantemente a evoluir e a desenvolver tudo o que pode para chegar cada vez mais longe; receber recompensas cada vez mais relevantes e significativas, e assim permanecer neste efeito bola de neve. E a genuinidade com que Startup Panic foi desenvolvido faz com que este título a atinja perfeitamente: as horas vão passando e queremos sempre chegar ao próximo passo!

Mesmo para quem não seja particularmente adepto do tema em questão, Startup Panic tem muitos trunfos na mão. Além da nítida polidez e da brilhante atenção ao detalhe já descrita acima, a interface é também muito agradável, intuitiva, colorida, divertida e leve, o que irá certamente cativar muitos jogadores por si só.

Este é um título que foi claramente criado com muito carinho, e o seu baixo preço demonstra que a intenção nunca foi fazer grande lucro com ele. É uma homenagem a todos que decidiram abandonar as correntes e as mordaças de um empregador opressivo, e que se lançaram ao sucesso por conta própria no ramo do software. Recomendado a todos aqueles se reveem na premissa, e que gostam de passar horas a tornar o seu negócio virtual um verdadeiro sucesso.

positivo Atenção ao detalhe
positivo Humor mordaz e sardónico
positivo Grafismo e interfaces limpas e cativantes

errado Precisa de algum grinding por vezes
errado Alguns dos requerimentos para cumprir objetivos podem ser confusos

Data de Lançamento: 03/12/2020
Produtora: Algo Rocks
Editora: tinyBuild
Género: Estratégia, Simulação
Plataformas: Microsoft Windows, iOS, Android

Foi disponibilizado um código para análise. (PC)

Autor: João Pires (Ravsieg)

Maluco que cresceu com a SEGA e adora os jogos da era da Saturn, agora faz rádio sobre eles. Ex-profissional da indústria com o sonho de voltar. Venham jogos de desporto, de corrida, "fighters" ou TRPGs! Ah, e Virtual On é BAE. :D

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.